Não é fácil ser gentil todos os dias. Não é fácil ser gentil quando você entra em uma rede social e o que encontra são pessoas odiosas, polêmicas, amargas. Não é fácil ser gentil diante de tanta informação. É como a nova música do Lulu Santos (Hoje em Dia) diz:

A gente vive hoje em dia dentro de uma orgia de informação.

Não é fácil ser gentil no ônibus, por exemplo. As pessoas gritam, te empurram, ignoram a sua existência. Gente fumando, gente ouvindo música, gente discutindo. É tanta gente ao nosso redor, o tempo todo. Tantos pensamentos, tantos posicionamentos. É tudo tão cheio, tão estressante, tão insensível.

Não é fácil ser gentil hoje em dia, e quem nós vamos culpar?

Eu? Você? É, isso. Ninguém. Estamos todos amargurados, insatisfeitos, distantes. Estamos cansados de quem somos, das pessoas que ficam a gente, das pessoas que não querem ficar. Você liga a televisão e desliga depois de tantas tragédias. Você usa o celular e não interage com mais ninguém. Você posta um indireta, mas não conversa com a pessoa. Não esclarece. Não transborda.

A gente não aquece mais.

Não está fácil ser gentil, mas deve existir gentileza em algum lugar. Em alguém. Talvez no tio da banca que puxa conversa, no carinha da padaria que sempre coloca um pão a mais, na professora que tem paciência, no aluno que admira a professora, nos amigos que se reúnem aos sábados, na família que se abraça, nos namorados que se declaram, na criança que pede licença e no adulto que pede desculpa. Ainda existe gentileza em algum lugar. Em alguém. Ainda existe felicidade. Ainda existe amor.

Por isso, em tempos sombrios, seja amor.

Texto Giovanna Alencar

foto Dayne Topkin

 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Giovanna Alencar
Giovanna Alencar, 18 anos e estudante de Psicologia. Escritora por essência, e buscando sempre o meu lugar no mundo. Leio com a mesma frequência que escrevo. Amante das palavras.